comida japonesa online - capa
Antes mesmo de começar, vamos lembrar de uma coisa – comida japonesa envolve, em grande parte, alimentos crus e frescos. E mesmo para os pratos fritos ou assados, como harumakis e guiozas, o tempo até servir precisa ser pequeno, caso contrário a qualidade e o sabor se veem afetados.

Mas o fato é que todos os seus concorrentes estão começando a trabalhar não apenas com a entrega de pratos típicos da cozinha oriental via atendimento delivery, mas fazendo-o de forma online. O cliente simplesmente entra em um site ou aplicativo, monta seu pedido, paga e recebe em sua casa ou escritório algum tempo depois (mas não muito tempo!).

Mas você pode estar se perguntando: como fazer isso?

1# – “Duas” cozinhas

comida japonesa online 1Bem, o primeiro passo para fazer entregas é separar bem, dentro de sua organização e cozinha, e no caso de japoneses, entre sushimen, quem irá preparar e separar comidas para entrega e quem ficará responsável pela loja.

Em termos de organização, geralmente, os pedidos para viagem têm prioridade. A razão é muito simples. Pedidos na loja não irão demorar mais do que um ou dois minutos após concluir o preparo para chegar até o cliente.

Pedidos para viagem podem demorar 10, 15 ou até mais de 20 minutos para chegar do balcão até as mãos do cliente. No caso de itens da culinária japonesa, 20 minutos podem ser demais para que o cliente receba um produto a contento. Por essa razão, precisamos garantir um segundo passo…

2# – Restrições quando necessário

comida japonesa online 2Alguns itens talvez não possam ser disponibilizados para entrega. Apesar dos clientes pedirem assim mesmo, eles poderão chegar para consumo com sua qualidade afetada. A regra de ouro aqui é simples: na dúvida, só sirva ao vivo.

Contudo, itens cozidos e preparados podem seguir para entrega, ou mesmo itens frescos bem isolados. No caso de peixe cru, um dos pontos altos da comida japonesa online ou offline, é bom que as motos e contêineres de entregadores possuam gelo ou algum equipamento para manter a temperatura baixa, especialmente durante o verão.

3# – Área de cobertura

comida japonesa online 3Isso não é um problema apenas para a comida japonesa online ou entregas de sushi e sashimi – todos os restaurantes que realizam entregas têm dúvidas na hora de prover uma área de cobertura para seu esquema de delivery.

Bem, o principal problema aqui não é nem mesmo a distância, mas sim o tempo que se leva para percorrer o caminho. O ideal, em qualquer sistema de entregas, online ou offline, é que você primeiro comece com uma área de cobertura menor, testando tempos de entrega, nível de trânsito e colhendo feedbacks do cliente em relação à qualidade do alimento enviado.

À medida que você “domine” um território, pode expandi-lo aos poucos, a depender do comportamento das entregas feitas durante fases anteriores. Alguns restaurantes, em estágios mais avançados, chegam a posicionar uma segunda cozinha em outro endereço, em lojas menores, apenas para abranger uma área de entregas maior.

No caso da comida japonesa online, mesmo porque clientes poderão aparecer e chegar até você de qualquer lugar, não necessariamente de seu bairro apenas, talvez essa seja uma boa ideia de expansão do modelo de negócio.

4# – Tecnologia x Comida Japonesa Online

comida japonesa online 4Bem, chegamos ao ponto crucial para o estabelecimento de um esquema de comida japonesa online – e mesmo para entregas normais, atendendo a pedidos via telefone. É preciso possuir tecnologia.

Não estamos falando apenas de tecnologia de preparo de alimentos – embora essa também seja muito importante, especialmente no que se refere ao padrão e à velocidade de uma cozinha.

Não, entregas e sistemas delivery exigem tecnologia para funcionar, agilizar processos e tarefas e evitar erros. Com comida japonesa online, você irá precisar de todo o aparato de um sistema de restaurante e outras tecnologias que hoje constituem um bom sistema de delivery:

  • Um sistema de gestão de entregas, no qual você possa controlar não apenas os pedidos feitos em linha com o que é preparado e separado para despacho, mas também o fluxo de motoqueiros e entregadores e a localização dos mesmos na área de cobertura de seu restaurante. Isso evita retrabalho, inibe erros e permite à cozinha acompanhar a disponibilidade de entregadores para colocar pedidos prontos na fila de espera.
  • Um aplicativo ou site no qual o cliente possa efetuar o pedido. Esse aplicativo precisa conter em seu cardápio de comida japonesa, um sistema no qual o cliente monte seu pedido e tenha várias opções de pagamento online. Do seu lado, o sistema precisa comunicar-se com o software de seu restaurante, para que os pedidos entrem na fila e sejam processados. O ideal é que você utilize sistemas de um mesmo fornecedor nessas duas etapas – assim você garante a integração dos mesmos.

Claro, montar um website para receber pedidos online e processá-los pode ser algo caro e demorado, e mais ainda no caso de um aplicativo mobile. A demanda por esse tipo de software hoje em dia fez com que mercado de desenvolvimento de aplicativos se inflacionasse enormemente.

Contudo, há possibilidades mais rápidas e mais em conta em vista. Sites especializados são até uma melhor política – eles permitem que você os assine, coloque seu restaurante em um sistema de buscas e suba todo seu cardápio para uma plataforma já desenvolvida para esse fim. Como os preços geralmente envolvem o pagamento de uma assinatura mensal, você não precisa fazer grandes investimentos de cara.

Além disso, convenhamos, muito “desenvolvedor” por aí não sabe muito bem o que está fazendo, e é bem provável que optando de cara por uma solução própria você acabe com um aplicativo caro e com mau funcionamento. Seus clientes não serão seduzidos por algo que não funciona, e você terminará com um elefante branco. Na dúvida, faça um teste, utilize uma versão gratuita como o Pedir Comida – cortesia para clientes eComanda – e tire suas próprias conclusões.

Comida japonesa online: é uma ideia melhor do que você imaginava. Porém, não deixe de seguir esses quatro passos simples para fazer a coisa toda direito, pois há muita concorrência e errar, na atual conjuntura, é algo que não é possível.

Agora que você já tem as dicas básicas para começar a vender online, compartilhe nos comentários: por que você decidiu trabalhar com vendas online?

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *